Volta ao Alentejo: João Rodrigues segurou os três segundos e venceu a 'Alentejana'

O português João Rodrigues (W52-FC Porto) festejou hoje, na Praça do Giraldo, em Évora, a conquista da Volta ao Alentejo em bicicleta, ao segurar os três segundos de avanço sobre Luís Mendonça (Rádio Popular-Boavista) na sexta e última etapa.

O vencedor de 2018 tinha prometido luta até ao final dos 152 quilómetros da derradeira etapa, entre Portalegre e Évora, mas não conseguiu somar o segundo triunfo consecutivo e viu João Rodrigues, de 24 anos, vestir a amarela final.

"A equipa toda está bastante forte. Era um objetivo ganharmos a Volta ao Alentejo. O Raul [Alarcón] também estava muito bem. Tentámos fazer a diferença na etapa de ontem [sábado], na parte da manhã, mas não conseguimos, o [Luís] Mendonça esteve bastante bem, assim como os outros atletas. No contrarrelógio, conseguimos ser os mais fortes e aqui foi tentar não perder tempo", disse João Rodrigues.

O pódio ficou completo com a presença de outro ciclista dos 'azuis e brancos', o espanhol Raul Alarcón, vencedor das duas últimas Voltas a Portugal, que terminou em terceiro a quatro segundos do seu companheiro de equipa.

"[João Rodrigues] É sempre um grande trabalhador, um grande amigo de todos e merece esta vitória", disse Alarcón, na véspera de cumprir 33 anos.

O final da etapa foi igual ao das duas primeiras desta 'Alentejana', com o espanhol Enrique Sanz (Euskadi-Murias) a levantar os braços e festejar o triunfo, desta feita em 3:29.33 horas, o mesmo tempo do britânico Gabriel Cullaigh (Team Wiggins), vencedor em Évora em 2018, e menos um segundo do que o compatriota e colega de equipa Mario González.

"Três vitórias, com três trabalhos da equipa fenomenais. Vínhamos para isto, para vencer etapas. Em quatro oportunidades ganhar três, não está mal", disse o basco, que vestiu a camisola amarela em duas etapas.

A fuga da última etapa foi lançada ao quilómetro 16, com oito corredores, o mais bem colocado dos quais o português Gonçalo Leaça (LA Alumínios), que chegou a 'ameaçar' a liderança, quando a fuga teve 6.05 minutos de avanço.

A 18 quilómetros da meta, o pelotão absorveu os quatro últimos resistentes, com a chegada a ser feita a alta velocidade até Évora, onde, além de João Rodrigues, Luís Mendonça (pontos), o norueguês Tobias Foss (Uno-X), na juventude, o neozelandês James Fouché (Team Wiggins), na montanha, e a W52-FC Porto (melhor equipa) confirmaram os triunfos.

Ler mais

Exclusivos