Vila Nova de Cerveira investe 400 mil euros na requalificação do espaço público

Vila Nova de Cerveira, Viana do Castelo, 22 jan (Lusa)- A Câmara de Vila Nova de Cerveira vai investir cerca de 400 mil euros na requalificação do espaço público da zona nascente da vila, numa área "muito movimentada" daquele concelho do Alto Minho, informou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, o município adiantou que os trabalhos deverão começar em abril, sendo que "a obra irá decorrer em três fases, de forma a minimizar o impacto no dia a dia das pessoas".

O prazo de execução é de "cinco meses, com suspensão prevista para os meses de julho e agosto".

Segundo dados daquela autarquia do distrito de Viana do Castelo, desde 2014 já foram investidos em reabilitação urbana do espaço público cerca de 1,5 milhões de euros.

A operação agora anunciada integra o projeto "Requalificação do Espaço Público Envolvente ao Bairro da Calçada, à Urbanização de Cerveira e ao Centro Escolar de Cerveira", candidatado ao programa Norte 2020 para a Reabilitação Urbana.

O custo total da intervenção é de 382 mil euros, com uma comparticipação FEDER de 265 mil euros.

O município liderado pelo independente Fernando Nogueira justificou a empreitada com "o avançado grau de deterioração e desorganização do espaço público envolvente ao bairro da Calçada, à urbanização de Cerveira e ao centro escolar".

"Em causa está uma zona de grande afluxo diário por integrar distintos estabelecimentos de comércio/serviços, edifícios multifamiliares e um elevado número de habitações com data de construção anterior a 1980. Desde a sua origem, aquela área não sofreu qualquer intervenção, encontrando-se atualmente em avançado estado de degradação ao nível da qualidade ambiental e das acessibilidades", sustentou.

O objetivo da obra "é organizar todo o espaço, conferindo-lhe o máximo de funcionalidade, sem comprometer o seu enquadramento e equilíbrio entre a parte edificada e a envolvente natural".

Pretende-se ainda dotar aquela zona da vila de "todas as infraestruturas necessárias ao seu correto e eficiente funcionamento, nomeadamente abastecimento de água, rede de drenagem de águas residuais domésticas, rede de drenagem de águas residuais pluviais, rede de segurança contra incêndios, rede de rega, rede de iluminação pública, rede viária, requalificação ambiental e acessibilidades".

O presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, citado naquela nota, destacou que a obra vai garantir "melhorias significativas ao nível da mobilidade, conforto e segurança, quer para peões quer para automobilistas".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.