Universidade de Coimbra assina protocolo na área da cibersegurança

A Universidade de Coimbra (UC) e o Gabinete Nacional de Segurança/Centro Nacional de Cibersegurança (GNS/CNCS) assinam na quinta-feira um protocolo de colaboração nas áreas de cibersegurança, políticas de cibersegurança, investigação e formação e qualificação de recursos humanos.

O protocolo vai permitir "que a Universidade de Coimbra contribua para que Portugal tenha capacidade para se defender de ataques pela internet e para que a segurança informática dos próprios sistemas da Universidade de Coimbra também melhore", resume o Reitor da UC, João Gabriel Silva.

Assinado pelo reitor da UC e pelo coordenador do CNCS, Pedro Veiga, o protocolo estabelece várias áreas de colaboração, entre as quais operações de cibersegurança, políticas de cibersegurança, investigação e formação e qualificação de recursos humanos.

O protocolo tem em vista o desenvolvimento "das capacidades nacionais de prevenção, monitorização, deteção, reação, análise e correção, destinadas a fazer face a incidentes de cibersegurança e ciberataques e contribuir para garantir a segurança dos sistemas de informação e comunicação do Estado e das infraestruturas críticas nacionais".

Após a assinatura do protocolo de colaboração, marcada para as 10:00 de quinta-feira, na Sala do Senado da Universidade de Coimbra, o coordenador do CNCS profere uma palestra subordinada ao tema "Estratégia Nacional de Cibersegurança".

Esta diretiva da União Europeia visa aumentar as capacidades em cibersegurança, a cooperação entre os Estados membros, a aplicação de medidas de segurança das redes e da informação e a notificação de incidentes por parte dos fornecedores de serviços essenciais e prestadores de serviços digitais".

"O Centro Nacional de Cibersegurança atua como coordenador operacional e autoridade nacional especialista em matéria de cibersegurança junto das entidades do Estado, operadores de serviços essenciais e prestadores de serviços digitais, garantindo que o ciberespaço é utilizado como espaço de liberdade, segurança e justiça, para proteção dos setores da sociedade que materializam a soberania nacional e o Estado de Direito Democrático", pode ler-se na página oficial da CNCS.

Exclusivos