"Uma Vida Sublime" de Luís Diogo exibido no Festival de Cinema Latino em Chicago

O filme "Uma Vida Sublime", um 'thriller' dirigido por Luís Diogo, faz parte da programação da 34.ª edição do Festival de Cinema Latino, em Chicago, e será exibido nos dias 06 e 08 de abril.

O festival, que conta com a projeção de mais de 100 curtas e longas-metragens da América Latina, Portugal, Espanha e Estados Unidos, visa contribuir para o desenvolvimento da cultura latina com apresentações de arte em várias formas, segundo a informação disponível na página oficial do evento.

Apesar de a mostra ser isenta de competição, a audiência tem a possibilidade de atribuir o Prémio Escolha do Público ao melhor filme, documentário e curta-metragem.

O Programa de desenvolvimento, inserido no alinhamento do evento, é uma plataforma direcionada a jovens estudantes que permite o contacto com diversas culturas influentes na indústria cinematográfica.

O Espaço de Parceria do festival, organizado pela Fundação Reva & David Logan, permite ao público o visionamento de filmes inacessíveis, sempre com o intuito de partilhar experiências culturais com a audiência.

O Concurso de Cartazes, cujo prémio foi atribuído pela terceira vez ao 'designer' gráfico Jorge Pomareda, seleciona o artista que desenvolve a imagem oficial do evento.

Já o Prémio Gloria, que homenageia figuras e instituições que contribuem para o desenvolvimento da comunidade latina em Chicago e no mundo, será atribuído ao ator argentino Ricardo Darín, nesta edição.

A mostra de cinema, organizada pelo Centro Internacional e Cultural de Chicago, estará patente de 05 a 19 de abril em diversas salas do centro da cidade.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Francisco ​​​​​​​em Pequim?

1. A perseguição aos cristãos foi particularmente feroz durante a Revolução Cultural no tempo de Mao. Mas a situação está a mudar de modo rápido e surpreendente. Desde 1976, com a morte de Mao, as igrejas começaram a reabrir e há quem pense que a China poderá tornar-se mais rapidamente do que se julgava não só a primeira potência económica mundial mas também o país com maior número de cristãos. "Segundo os meus cálculos, a China está destinada a tornar-se muito rapidamente o maior país cristão do mundo", disse Fenggang Yang, professor na Universidade de Purdue (Indiana, Estados Unidos) e autor do livro Religion in China. Survival and Revival under Communist Rule (Religião na China. Sobrevivência e Renascimento sob o Regime Comunista). Isso "vai acontecer em menos de uma geração. Não há muitas pessoas preparadas para esta mudança assombrosa".