UE e México abrem nova ronda de negociações para atualizar acordo de comércio livre

A União Europeia (UE) e o México abriram, na segunda-feira, uma nova ronda de negociações para atualiazar o tratado de comércio livre, em vigor desde 2000, informou a Secretaria da Economia mexicana.

Esta quarta ronda de negociações, iniciadas em maio do ano passado, vai estender-se até ao final da semana, com sessões de trabalho de 20 grupos, indicou a Secretaria da Economia do México, em comunicado.

Esses grupos procuram avançar em domínios como acesso ao mercado, identificação de disposições em comum sobre comércio de serviços, incluindo telecomunicações, medidas sanitárias e fitossanitárias e propriedade intelectual, de acordo com a mesma nota.

Nestas negociações, o México tem como objetivo conquistar um maior acesso ao setor agrícola da Europa, enquanto o bloco poderá sair beneficiado com a abertura do setor energético do país americano.

O Governo mexicano indicou que pretende divulgar os progressos alcançados durante um fórum, no próximo dia 04, no qual vão participar departamentos e organismos envolvidos na modernização do acordo.

Ambas as partes encontram-se determinadas em concluir ainda este ano a revisão do acordo comercial, antes das eleições presidenciais mexicanas de 2018 e das legislativas europeias do ano seguinte.

A anterior ronda, a terceira, decorreu em Bruxelas, que vai ser a sede do quinto e próximo encontro (de 25 a 29 de setembro), esperando-se que a sexta e derradeira ronda volte a ser realizada na capital mexicana (de 27 de novembro a 01 de dezembro).

A UE é o terceiro parceiro comercial do México, a seguir aos Estados Unidos e à China.

Em 2016, o comércio bilateral ascendeu-se a 61.700 milhões de dólares norte-americanos, de acordo com dados oficiais mexicanos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Isabel Moreira ou Churchill

Numa das muitas histórias que lhe são atribuídas, sem serem necessariamente verdadeiras, em resposta a um jovem deputado que, apontando para a bancada dos Trabalhistas, perguntou se era ali que se sentavam os seus inimigos, Churchill teria dito que não: "Ali sentam-se os nossos adversários, os nossos inimigos sentam-se aqui (do mesmo lado)." Verdadeira ou não, a história tem uma piada e duas lições. Depois de ler o que publicou no Expresso na semana passada, é evidente que a deputada Isabel Moreira não se teria rido de uma, nem percebido as outras duas.