Turquia emite mais quase 300 mandados de prisão contra suspeitos de ligação a clérigo

As autoridades turcas emitiram hoje mandados de prisão contra cerca de 300 pessoas suspeitas de ligações ao movimento do clérigo Fethullah Gülen, que Ancara acusa de ser o instigador do fracassado golpe de 2016, anunciou o Ministério Público.

Em comunicado, o Ministério Público de Istambul indica que um total de 295 militares no ativo, metade deles no exército, foram alvo de mandados de prisão e ainda dois coronéis que estão entre os suspeitos.

As detenções na Turquia após o fracassado golpe de 15 de julho de 2016 continuam em ritmo constante, com dezenas ou até centenas de prisões semanais.

Recentemente, mais de 760 pessoas foram presas em todo o país, mas 138 delas foram posteriormente libertadas, incluindo 122 que ficaram sob supervisão judicial, de acordo com um comunicado divulgado pelo procurador de Ancara.

Desde o golpe de Estado fracassado, mais de 55.000 pessoas foram presas e 140.000 foram demitidas ou suspensas.

As autoridades turcas acusam Gülen de ter fomentado a tentativa de golpe de 15 de julho de 2016, mas o religioso, que mora nos Estados Unidos há 20 anos, nega categoricamente qualquer envolvimento.

Ler mais

Exclusivos