Tribunal de Maputo mantém antiga ministra moçambicana em prisão preventiva

Maputo, 18 abr 2019 (Lusa) -Tribunal Judicial da Cidade de Maputo decidiu hoje manter a prisão preventiva aplicada à antiga ministra do Trabalho e ex-embaixadora de Moçambique em Angola, Helena Taipo.

Helena Taipo foi ouvida pelas 10:30 (09:30 em Lisboa) no Tribunal Judicial da Cidade de Maputo, numa sessão que durou pouco mais de três horas.

Taipo foi detida na terça-feira, após ser ouvida no início da tarde pelo Gabinete Central de Combate à Corrupção e levada para um estabelecimento penitenciário da capital moçambicana.

Neste processo, Taipo é suspeita de ter recebido subornos de 100 milhões de meticais (1,4 milhões de euros) para favorecer empresas de construção civil e do setor gráfico em contratos com a Segurança Social, referiu, em outubro de 2018, fonte do Ministério Público moçambicano à Lusa.

Os factos remontam a 2014, quando Helena Taipo era ministra do Trabalho e nessa qualidade tutelava o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".