Três feridos em incêndio nas instalações do clube brasileiro Bangú

Um incêndio nas instalações do clube brasileiro Bangú, no Rio de Janeiro, causou hoje pelo menos três feridos, dois deles futebolistas, após ter deflagrado num quarto de descanso para os atletas.

Segundo a imprensa local, o incêndio começou pelas 15:00 locais (17:00 em Lisboa) depois do treino da equipa, que milita no quarto escalão do futebol brasileiro, no complexo da Comissão de Desportos da Aeronáutica, na zona oeste do Rio.

A identidade dos feridos, dois futebolistas e um soldado, não foi divulgada, sendo que a assessoria de imprensa do clube brasileiro admite que dois dos três possam ter alta médica ainda hoje, sendo que o terceiro, um dos futebolistas, está numa unidade de cuidados intensivos depois de inalar demasiado fumo.

A Aeronáutica está a investigar as causas do incêndio, o segundo em menos de uma semana nas instalações de um clube do Rio de Janeiro, depois de na última quinta-feira o centro de treinos do Flamengo ter sido afetado por um outro, que custou a vida a 10 jogadores da formação, com idades entre os 14 e os 16 anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.