Taça da Liga: Uma detenção no Benfica--FC Porto, por resistência à autoridade

Uma pessoa foi hoje detida por resistência à autoridade no âmbito da operação de segurança montada para o jogo entre o Benfica e o FC Porto, das meias-finais da Taça da Liga de futebol, adiantou à Lusa a PSP de Braga.

O comissário da Polícia de Segurança Pública, Fernando Rabaldinho, disse que o adepto em questão, afeto ao FC Porto, foi detido por "resistência e coação e um agente da autoridade".

O responsável disse ainda que a PSP identificou um outro adepto, do Benfica, na Bancada Poente do Estádio Municipal de Braga, por "injúrias" ao presidente do FC Porto, Pinto da Costa.

Numa partida com 22.945 espetadores recinto bracarense, palco da final a quatro da Taça da Liga, o FC Porto derrotou o Benfica por 3-1 e vai defrontar, na final de sábado, o vencedor da meia-final entre Sporting de Braga e Sporting, agendada para quarta-feira, às 19:45.

.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.