Sul-africano Daryl Impey conserva título no Tour Down Under

O sul-africano Daryl Impey (Mitchelton-Scott) tornou-se hoje no primeiro ciclista a conservar o seu título no Tour Down Under, ao ser terceiro na última etapa, com meta em Willunga Hill, Austrália.

Impey venceu esta 21.ª edição da prova de abertura do World Tour, o circuito mais importante do ciclismo mundial, com 13 segundos de vantagem para o australiano Richie Porte (Trek-Segafredo), que hoje venceu a sexta e derradeira etapa, com meta no cimo de Willlunga Hill, enquanto o holandês Wouter Poels (Sky) foi o terceiro da geral, a 19 segundos.

"Nunca imaginei que poderia vencer aqui duas vezes", declarou no final o corredor sul-africano, que venceu uma etapa na presente edição, a quarta.

O neozelandês Patrick Bevin (CCC), que tinha conservado a liderança no sábado, apesar de uma forte queda a nove quilómetros da meta, não conseguiu acompanhar o andamento na subida final e acabou atrasado.

O português Rúben Guerreiro (Katusha-Alpecin), que terminou hoje a etapa no 11.º lugar, a 17 segundos de Richie Porte, concluiu o Tour no oitavo posto, com mais 40 segundos do que o vencedor, enquanto Ivo Oliveira (UAE Emirates) foi 74.º na etapa, a 5.40, tendo ficado no 88.º posto final, a 22.37.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.