Sporting inicia defesa do título na estreia dos 'grandes' na Taça da Liga

O Sporting inicia no domingo a defesa do título na Taça da Liga de futebol, frente ao Marítimo, no arranque da terceira fase da prova, que marca a 'entrada em cena' dos quatro primeiros classificados do campeonato anterior.

Os 'leões' recebem o Marítimo na jornada inaugural do grupo D, num jogo que marcará a estreia oficial de Frederico Varandas como presidente do Sporting, sucedendo ao destituído Bruno de Carvalho, sob o mandato de quem o clube lisboeta conquistou pela primeira vez o troféu, na época passada.

Em maio, na última jornada da Liga anterior, a equipa insular venceu por 2-1 e privou o Sporting de disputar o acesso à Liga dos Campeões, lançando o clube para a maior crise institucional da sua história, em especial depois das agressões a vários futebolistas na academia de Alcochete.

O Sporting, um dos líderes da I Liga, com um ponto de vantagem sobre o Marítimo, quinto colocado, poderá ver-se privado de dois jogadores fulcrais, ambos devido a lesão: o ponta de lança Bas Dost e o avançado Nani, que tem substituído com distinção o holandês na tarefa de marcar golos.

Na outra partida do agrupamento, o Estoril Praia, uma das três equipas sobreviventes do segundo escalão, em conjunto com o Paços de Ferreira e o Varzim, recebe o Feirense na segunda-feira, no encerramento da primeira jornada da terceira fase da Taça da Liga.

O Benfica, recordista de triunfos da competição, com sete troféus conquistados em 11 edições, recebe no sábado o Rio Ave, na estreia no agrupamento A, do qual fazem também parte o Paços de Ferreira e o Desportivo das Aves, que medem forças no mesmo dia.

A equipa 'encarnada', que lidera a I Liga em igualdade pontual com o Sporting e o Sporting de Braga, poderá poupar vários habituais titulares -- tal como o rival lisboeta -, devendo ainda manter de fora o médio Fejsa e o avançado Jonas, dois jogadores influentíssimos, a recuperarem de lesões.

O FC Porto deverá ter uma estratégia semelhante para o confronto de sexta-feira com o Desportivo de Chaves -- frente ao qual venceu todos os 17 jogos disputados em casa -, até porque se debate com uma extensa lista de lesionados, em que se destacam os avançados Soares e Aboubakar.

No domingo, Varzim e Belenenses disputam o outro encontro do grupo do campeão nacional (C), que entrou diretamente na terceira fase, em conjunto com Benfica, Sporting e Braga, enquanto o Vitória de Setúbal, vencedor da primeira edição e finalista vencido na época passada, ficou isento da segunda fase.

Os bracarenses, que também já ergueram por uma vez o troféu, na época 2012/2012, recebem no sábado o Tondela, antepenúltimo posicionado no escalão principal, enquanto no outro jogo da 'poule' B os sadinos deslocam-se no domingo ao estádio do Nacional.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.