Sócios do Sindicato dos Bancários do Sul elegem dirigentes na quarta e na quinta-feira

Os 37.293 associados do Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI) vão a votos na quarta e na quinta-feira para escolher, entre duas listas, os corpos gerentes para os próximos quatro anos.

Os eleitores poderão exercer o seu direito através do voto eletrónico, presencial ou por correspondência, e podem optar pela lista A ou pela B.

O atual presidente do sindicato, Rui Riso, que também é deputado pelo partido socialista, recandidata-se à liderança da direção sindical pela lista A, que mantém a coligação entre a tendência sindical socialista e a social-democrata.

Se a direção de Rui Riso for reeleita, a sua principal aposta será a concretização do sindicato nacional do setor financeiro.

Os três sindicatos de bancários e os dois dos seguros que integram a Febase (federação sindical do setor financeiro) referendaram no final de novembro a possibilidade de fusão num único sindicato nacional.

A fusão foi aprovada, exceto pelo Sindicato dos Bancários do Norte, que ficou de fora deste processo.

No seu documento eleitoral, os candidatos da lista A defendem que são "uma equipa que cruza experiência com renovação" e comprometem-se a rever todas as Convenções Coletivas de Trabalho, para melhorar as carreiras e os salários dos bancários.

A melhoria dos Serviços de Assistência Médica e Social (SAMS), o envolvimento dos jovens na vida sindical, o alargamento da oferta de formação profissional e a valorizações das reformas são outros dos compromissos eleitorais da lista A.

A lista B, liderada por João Pascoal, que pertence à Comissão de Trabalhadores do Santander Totta, assume-se como uma alternativa de mudança.

Os candidatos desta lista pretendem renegociar as convenções coletivas de trabalho, para repor direitos e defender postos de trabalho, salvaguardar o futuro dos SAMS e melhorar os rendimentos dos reformados.

Na quarta e na quinta-feira, os sócios do SBSI vão ainda eleger os delegados ao congresso, de entre os quais sairão os membros do Conselho Geral e dos secretariados das Secções Sindicais de Empresa, Regionais e de Reformados.

Ao congresso, que se realizará até 31 de outubro, concorrem 50 listas, de onde serão eleitos 226 congressistas .

Às Secções Sindicais concorrem 50 listas, para 91 lugares.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.