Sismo de magnitude 6,5 sacode Micronésia, no Pacífico

Um sismo de magnitude 6,5 foi registado hoje nos Estados Federados da Micronésia, no Pacífico, sem que tenha sido emitido alerta de tsunami ou reportada a ocorrência de vítimas ou de danos materiais.

O forte terramoto teve o hipocentro a sete quilómetros de profundidade no leito marinho, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitoriza a atividade sísmica mundial.

O sismo ocorreu a 54 quilómetros a noroeste de Fais e a 238 a leste de Colonia, na ilha de Yap, detalhou o USGS.

O Serviço de Alertas de Tsunami do Pacífico, que elevou a magnitude do sismo para 6,6, não emitiu qualquer alerta.

Os Estados Federados da Micronésia ocupam uma superfície de 2.702 quilómetros quadrados no Pacífico, dos quais apenas 700 quilómetros quadrados correspondem a terra acima do nível do mar.

Os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequeno (2,0-2,9), pequeno (3,0-3,9), ligeiro (4,0-4,9), moderado (5,0-5,9), forte (6,0-6,9), grande (7,0-7,9), importante (8,0-8,9), excecional (9,0-9,9) e extremo (superior a 10).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.