Síria: EUA vão manter 200 militares para "manutenção de paz" no país

A administração norte-americana anunciou hoje que irá manter 200 militares na Síria, contrariando uma decisão anunciada no final de dezembro de retirada de tropas no país.

"Um pequeno grupo de manutenção de paz, de 200 soldados, irá permanecer na Síria por um período de tempo", revelou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, à agência France-Presse.

O anúncio é feito já depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter tido uma conversa telefónica com o homólogo turco, Recep Erdogan.

Em dezembro, Donald Trump anunciou a retirada dos cerca de dois mil militares norte-americanos destacados na Síria, que combatem ao lado da coligação árabe-curda, as Forças Democráticas Sírias (FDS), contra o grupo extremista Estado Islâmico.

O Presidente norte-americano, adversário de longa data da presença dos EUA num conflito que considera dispendioso, disse que as tropas norte-americanas já não eram necessárias por considerar que o Estado Islâmico foi "largamente derrotado".

A decisão foi criticada por numerosos especialistas, que frisam que o grupo extremista islâmico continua a controlar uma série de aldeias ao longo do rio Eufrates, no leste da Síria, onde resistem há semanas a ataques sucessivos das FDS.

Alemanha, França e Reino Unido, aliados dos Estados Unidos, já tinham manifestado a sua preocupação com o anúncio da retirada.

Ler mais

Exclusivos