Seul revela importações ilegais da Coreia do Norte que violam sanções da ONU

A Coreia do Sul informou hoje que um total de 35 mil toneladas de carvão e ferro norte-coreanos entraram ilegalmente nos seus portos em 2017, numa possível violação das sanções da ONU.

Com base em resultados preliminares de uma investigação que se prolongou durante dez meses, o Serviço Alfandegário da Coreia do Sul anunciou que deverá avançar com processos contra três empresas locais e respetivos executivos por contrabando e falsificação de documentos que procuraram alterar a identificação da origem dos recursos minerais norte-coreanos, com a indicação de que vinham da Rússia.

As empresas importaram carvão e ferro norte-coreano em sete ocasiões diferentes, entre abril e outubro do ano passado, para cinco portos sul-coreanos, informou a alfândega, referindo ainda que as 35 toneladas destes produtos estão avaliadas em cinco milhões de euros.

A ONU proibiu as importações de minerais norte-coreanos em agosto de 2017.

A Coreia do Sul começou a investigar em outubro as alegações de que o carvão norte-coreano podia ter entrado nos seus portos.

As primeiras sanções do Conselho de Segurança da ONU foram impostas após o primeiro teste nuclear de Pyongyang, em 2006.

Um relatório recente do Conselho de Segurança indicou que o regime de Kim Jong-un está a violar as sanções da ONU, com embarques clandestinos de carvão, petróleo e equipamento militar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.