Secretário de Estado da Economia português enaltece capacidades de Cabo Verde no digital

Praia, 20 jun 2019 (Lusa) -- O secretário de Estado da Economia português, João Neves, afirmou hoje na cidade da Praia que o digital é "muito importante" para o futuro e que Cabo Verde tem "muitas capacidades" nessa área.

João Neves falava aos jornalistas à margem da conferência sobre a "Dinamização da atividade empresarial: experiências e desafios", que decorre na capital de Cabo Verde com o objetivo de promover uma reflexão e análise da dinamização da atividade empresarial através da partilha de experiências, programas e desafios que se colocam às empresas, empresários e empreendedores de Cabo Verde e de Portugal.

A conferência é organizada pela Proempresa (Cabo Verde)e a congénere portuguesa IAPMEI, Agência para a Competitividade e Inovação.

Para o secretário de Estado da Economia, que hoje manteve um encontro com o secretário de Estado da Inovação de Cabo Vede, Pedro Lopes, referiu que o objetivo desta visita é "trilhar os caminhos do futuro".

Esse caminho passa, segundo disse, por "estabelecer parcerias entre empresas portuguesas e cabo-verdianas" que permitam aos dois países "crescer, gerar mais riqueza e que essa riqueza possa ser utilizada em favor de uma melhor qualidade de vida" dos povos.

João Neves disse que tem aproveitado a presença em Cabo Verde para "fazer contactos, visitar empresas estabelecidas ou com parcerias com empresas cabo-verdianas e com empresários, alguns deles há mais de uma dezena de anos" no arquipélago e com "uma forte ligação com Cabo Verde e os empresários" locais.

Para o governante português, a inovação é "o centro das mudanças.

"Se fizermos o que todos os outros fazem teremos muitas dificuldades em ter os nossos produtos em serviços colocados nos mercados internacionais e um bom retorno da nossa atividade", declarou.

Em relação a Cabo Verde, disse que esta "é muito jovem".

"Todos sabemos que os jovens têm um apetite imenso pela tecnologia, uma enorme facilidade de ter capacidade de gerir e apresentar coisas novas e isso é um grande ativo da sociedade cabo-verdiana", afirmou.

Da parte de Portugal, enumerou "alguma experiência nestas áreas" e defendeu o melhor de dois mundos: uma sociedade cabo-verdiana muito aberta, com gente jovem e com grandes capacidades e alguma experiência que podemos trazer de algumas startup´s e de algumas empresas maiores".

Para João Neves, "o digital é muito importante para o futuro e Cabo Verde tem muitas capacidades nessa área".

A este propósito, sublinhou o protocolo que é hoje assinado entre a Proempresa e o Iapmei que é "uma aposta no empreendedorismo, na criação de novos negócios, em pessoas que têm qualificações, ideias, mas dificuldades em pô-las em prática".

Sobre as empresas portuguesas em Cabo Verde, afirmou que as principais dificuldades passam pela logística, que pretendem mais eficiente.

"Todos manifestaram muito essa preocupação e podemos, de algum modo, contribuir para que essas dificuldades possam ser supridas. O nosso compromisso é com a sociedade e o povo cabo verdianos e encontraremos sempre soluções para resolver os problemas que existem", adiantou.

A deslocação de João Neves a Cabo Verde prossegue na sexta-feira na ilha de São Vicente, onde estão previstas várias visitas a empresas.

Exclusivos