Salão Imobiliário do Porto arranca hoje focado na captação de investimento estrangeiro

A primeira edição do Salão Imobiliário do Porto (SIP) decorre de hoje até domingo na Exponor, em Matosinhos, aproveitando a crescente procura imobiliária no país e na região Norte para apostar na captação de investimento estrangeiro.

"Este regresso de um salão imobiliário ao Porto acentua a normalização do mercado e também a representatividade que a região Norte, e em especial o Porto, têm ganhado no panorama imobiliário nacional, reunindo já grande parte da procura imobiliária quer por parte do mercado interno, quer por parte de estrangeiros", afirma o presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), que promove o evento em parceria com a Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção (APCMC) e a Associação Empresarial de Portugal (AEP).

Em declarações à Lusa, Luís Lima explicou que, depois dos anos da crise imobiliária terem impedido a associação "de apoiar a continuidade de um evento regional" do setor no Norte do país, optando antes pelo apoio a um salão de âmbito nacional em Lisboa, o dinamismo da atividade na região faz com que o Porto mereça o regresso de um salão à cidade".

"Agora que o Porto é a segunda cidade do país que mais procura regista justifica-se a existência de um certame como este, que é o momento ideal para promover a oferta do Porto e da própria região Norte", sustentou.

De acordo com dados da APEMIP, no final do terceiro trimestre de 2017 a região Norte representava cerca de 30% das casas vendidas em Portugal, com 32.702 transações num total de 110.847 habitações comercializadas, enquanto a Área Metropolitana do Porto (AMP) representou cerca de 18% (19.303 imóveis).

As estimativas da associação apontam que, no ano passado, o número de transações imobiliárias tenha crescido cerca de 25% em relação a 2016, o valor mais alto de que há registo, prevendo Luís Lima que em 2018 esta percentagem possa atingir os 30%.

Segundo o presidente da APEMIP, a captação de investimento estrangeiro "será um dos focos" do SIP 2018, que "trará a Portugal o encontro de primavera da Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa (CIMLOP) e contará com as presenças de representantes das associações americana, francesa, angolana, brasileira e moçambicana".

"O foco no investimento estrangeiro justifica-se pela importância que [este] tem no imobiliário em Portugal", sustentou, salientando que os compradores internacionais representaram 20% do mercado imobiliário português em 2017, com destaque para os franceses (29%), brasileiros (19%), ingleses (11%), chineses (9%) e angolanos (7,5%).

O SIP 2018 tem como público-alvo potenciais investidores nacionais e estrangeiros, profissionais do setor imobiliário, convidados internacionais e o público geral e espera receber cerca de 30 mil visitantes.

Exclusivos