Ruben Guerreiro sobe ao nono lugar da Volta à Califórnia

O ciclista português Ruben Guerreiro subiu hoje ao nono lugar da Volta à Califórnia, após a terceira etapa, ganha pelo letão Toms Skjins, seu colega de equipa na Trek-Segafredo.

No final dos 197 quilómetros entre King City e o autódromo de Laguna Seca, Skujins cortou a meta isolado, em 4:52.47 horas, menos três segundos do que o norte-americano Sean Bennett (Hagens Berman Axeon) e oito do que o australiano Caleb Ewan (Mitchelton-Scott), o primeiro do pelotão.

Ruben Guerreiro, campeão nacional de fundo, cortou a meta na 15.ª posição, integrado no pelotão, enquanto Ivo Oliveira (Hagens Berman Axeon) foi 45.º, a 45 segundos de Skujins.

Na geral, o colombiano Egan Bernal (Sky) manteve a liderança, com 25 segundos de avanço sobre o polaco Rafal Majka (Bora-hansgrohe) e 31 sobre o britânico Adam Yates (Mitchelton-Scott).

Guerreiro subiu uma posição na classificação e é agora nono, a 1.11 minutos de Bernal.

Na quarta-feira, disputa-se a quarta etapa, um contrarrelógio de 34,7 quilómetros em San José.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.