Quatro mortos na Caxemira indiana em tiroteio que originou protestos populares

Srinagar, Índia, 16 mai 2019 (Lusa) - Três rebeldes separatistas, um soldado do Exército e um civil morreram durante um tiroteio no território de Caxemira, informaram hoje as autoridades indianas, que foram de seguida obrigadas a um conter um protesto popular.

As autoridades indicaram que o tiroteio teve hoje início num bairro no sul da cidade de Pulwama, quando polícias e soldados vasculhavam a área à procura de rebeldes que lutam contra a presença indiana em Caxemira.

Dois soldados e o irmão do civil morto também ficaram feridos nos combates.

Os combates provocaram protestos e confrontos quando centenas de moradores tentaram marchar para o local onde ocorria o tiroteio, em solidariedade com os separatistas, apesar do bloqueio de segurança na área.

As forças de segurança dispararam tiros e gás lacrimogéneo contra os manifestantes que responderam com o arremesso de pedras.

A região de Caxemira é reivindicada tanto pela Índia como pelo Paquistão desde o fim da colonização britânica, em 1947.

O total das forças indianas na parte controlada por Nova Deli é estimado em cerca de 500.000 efetivos.

A rebelião separatista destabiliza a Caxemira indiana desde 1989.

A Índia acusa o Paquistão de apoiar de forma dissimulada as infiltrações na sua parte do território e a própria revolta armada, o que Islamabad sempre negou.

Exclusivos