PSI20 sobe 0,76% em dia de ganhos sólidos na Europa

A bolsa de Lisboa encerrou hoje em alta, com o índice PSI20 a subir 0,76% para 5.068,02 pontos, num dia em que as principais bolsas europeias registaram ganhos mais expressivos.

Das 18 cotadas que integram o PSI20, só uma ficou em terreno negativo, o BCP, que caiu 0,41% para 0,24 euros.

A Altri liderou as subidas e avançou 2,97% para 6,93 euros, seguida pela Mota-Engil, que somou 2,67% para 1,77 euros, e pela Ibersol, que ganhou 2,62% para 8,62 euros.

A Ramada Investimentos registou uma valorização de 1,87% para 8,15 euros, a Semapa somou 1,75% para 15,12 euros, a Jerónimo Martins avançou 1,72% para 12,10 euros e a Corticeira Amorim subiu 1,26% para 9,67 euros.

Com ganhos abaixo de 1% terminaram a Pharol (0,18 euros), a Galp (14,36 euros), a NOS (5,49 euros), os CTT (3,06 euros), a Navigator (4,15 euros), a Sonae SGPS (0,89 euros), a EDP (3,08 euros), a REN (2,55 euros), a Sonae Capital (0,87 euros) e a EDP Renováveis (7,95 euros).

No resto da Europa, Frankfurt ganhou 2,63%, Londres 1,95%, Madrid 1,80% e Paris somou 1,70%, com os mercados animados pela perspetiva de um entendimento entre China e Estados Unidos a nível comercial.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.