PSI20 segue em alta a contrariar tendência europeia

Lisboa, 16 mai 2019 (Lusa) - O PSI20 segue em ligeira alta, contrariando o pessimismo das congéneres europeias, com as ações da EDP a puxarem pelos ganhos, no dia em que a empresa apresenta os resultados relativos ao primeiro trimestre.

Pelas 09:00, o principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, seguia a avançar 0,26% para 5.144,50 pontos, com seis ações em alta, oito em baixa e quatro inalteradas.

A liderar os ganhos seguia a EDP, com as ações a avançarem 1,71% para 3,21 euros, seguidas da Galp, a subirem 0,71% para 14, 10 euros.

A Jerónimo Maerins seguia também em alta de 0,33% para 13,72 euros.

Do lado das perdas, a Sonae liderava, ao descer 0,78% para 0,95 euros, seguidas das da EDP Renováveis, que desvalorizavam-se 0,57% para 8,67 euros.

A Sonae divulgou na quarta-feira, após o fecho do mercado que obteve um lucro de 18,3 milhões de euros no primeiro trimestre, mais 6,5% do que no período homólogo, impactado pelo crescimento das vendas e pela melhoria da rentabilidade operacional.

O BCP seguia igualmente em terreno negativo com as ações a perderem 0,24% para 0,25 euros.

Lisboa seguia a negociar em contraciclo com as principais bolsas europeias, que estavam hoje em baixa, mas mais calmas devido à trégua alcançada na terça-feira na guerra comercial entre Pequim e Washington.

Os analistas consideram que o anunciado veto dos Estados Unidos à tecnológica chinesa Huawei arrefece ainda mais as relações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Na Europa reúnem-se hoje os ministros da Economia e Finanças da zona euro.

Entretanto, o Governo italiano declarou que pode ultrapassar o limite de 3% do défice combinado com Bruxelas.

Os mercados ficaram mais calmos devido à trégua alcançada entre os Estados Unidos, depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter afirmado que o seu Governo está agora numa "posição muito melhor" para chegar a um acordo com Pequim.

Os investidores temem que a guerra comercial acabe por afetar o crescimento da economia global e estão preocupados com o recrudescimento da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter aumentado de 10% para 25% a tarifa sobre os bens importados a partir da China, devido à lentidão das negociações comerciais entre os dois países, que apesar de tudo se mantêm.

Na semana passada, Trump acusou a China de romper o acordo comercial, mas depois suavizou o discurso ao afirmar que ainda era "possível" um acordo com Pequim, depois de ter recebido uma carta do dirigente chinês, Xi Jinping.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1209 dólares, contra 1,1205 euros na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em julho abriu hoje em alta, a cotar-se a 72,08 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,37% do que na sessão anterior e depois de ter estado acima dos 85 dólares no início de outubro.

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.