PSD na Assembleia da Madeira exorta Governo Regional a recusar "convite ofensivo" do PM

O vice-presidente do PSD na Assembleia da Madeira exortou hoje o chefe do executivo insular a recusar o convite "ofensivo" para um encontro com o primeiro-ministro, no Palácio de São Lourenço, por ser a residência do representante da República.

"Exorto o Governo Regional e o presidente do Governo Regional a recusar de forma firme e formal esse convite ofensivo do primeiro-ministro que vem à Madeira", declarou Carlos Rodrigues no encerramento do debate parlamentar sobre a avaliação da operacionalidade do Aeroporto Internacional da Madeira -- Cristiano Ronaldo.

Segundo a imprensa regional, está prevista uma visita de António Costa à Madeira na próxima segunda-feira, dia 21, para participar no programa do Dia do Empresário Madeirense, organizado pela Associação Comercial e Industrial do Funchal (ACIF).

A Lusa contactou o gabinete do primeiro-ministro mas não obteve resposta sobre a realização desta deslocação.

Carlos Rodrigues instou todos os elementos do executivo regional, a se "recusem a ir ao 'beija mão' ao Palácio de São Lourenço", um imóvel que está "ocupado ilegalmente e de forma ostensiva" por uma "instituição que não tem razão de ser".

O parlamentar defende que o encontro deve ser sede do Governo Regional ou no parlamento.

Uma dependência do Palácio de São Lourenço, no Funchal, é a residência oficial do representante da República, Ireneu Barreto.

O deputado e vice-presidente da bancada da maioria do PSD na Assembleia da Madeira, ressalvou que "o problema não é a pessoa, mas o órgão", apontando que naquele histórico imóvel devia estar instalada a Assembleia Legislativa da Madeira.

"É uma pouca vergonha", declarou o deputado do PSD da Madeira, argumentando que "se o primeiro-ministro vem à Madeira, se quiser que se reúna na sede da Assembleia da Madeira ou do governo Regional".

No seu entender, o presidente do executivo madeirense "não é um funcionário do Estado ou um delegado da República".

Para Carlos Rodrigues, este convite "é uma vergonha e desrespeito" da parte de António Costa.

"Não aceitaremos que nos pisem os pés", afirmou, concluindo que os madeirenses não devem permitir desta forma "ser manchados na sua honra, orgulho e dignidade".

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.