Protesto bloqueia comitiva do Governo de Cabo Verde à chegada a São Vicente

A comitiva do primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, foi hoje parada à chegada a São Vicente por cerca de duas dezenas de manifestantes que reclamam o avanço do processo de regionalização prometido pelo Governo.

Segundo noticiou a agência cabo-verdiana de notícias Inforpress, a comitiva do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, acompanhado do ministro das Finanças, Olavo Correia, chegou cerca das 08:00 horas [10:00 horas em Lisboa] à ilha cabo-verdiana de São Vicente, tendo sido parada à saída do aeroporto Cesária Évora por elementos do movimento cívico Sokols.

Cerca de duas dezenas de elementos do movimento que a 05 de julho último mobilizou milhares de pessoas numa manifestação no Mindelo contra o que consideram o "centralismo exacerbado" da capital pediram hoje à chegada do primeiro-ministro a São Vicente autonomia para a segunda ilha mais populosa do país.

Empunhando cartazes e dísticos com apelos de "Autonomia, já", "Descentralização" e "Promessa é dívida", os manifestantes bloquearam a estrada, obrigando a comitiva a parar.

No entanto, nem Ulisses Correia e Silva nem Olavo Correia saíram das viaturas para falar com os manifestantes.

Salvador Mascarenhas, que lidera o movimento Sokols, explicou que o objetivo da ação foi demonstrar o "descontentamento" pelo não cumprimento da promessa de regionalização feita pelo primeiro-ministro.

"Enganou-nos e voltou atrás, tratando-nos como crianças e não podemos continuar a aceitar esse tipo de coisas, estamos a lutar pela descentralização já e pela regionalização planeada e com data, pois é vida das pessoas que está em causa", disse, citado pela Inforpress.

"Esperávamos que descesse do carro para falar connosco, mas reparei que ficou completamente espantado, que não estava à espera", acrescentou.

"Se o primeiro-ministro quiser dar o exemplo e ser um primeiro-ministro que entre para a História de Cabo Verde, que descentralize e regionalize o país", desafiou

A regionalização do país consta do programa eleitoral e de governo do Movimento para a Democracia (MpD) e o primeiro-ministro anunciou as linhas principais de projeto de regionalização, adiantando que o processo avançaria até final deste ano.

O MpD, que Governa em Cabo Verde desde abril de 2016 precisa dos votos do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) para fazer passar a lei no parlamento.

O movimento Sokols promoveu a 05 de julho, dia da Independência Nacional, uma manifestação que levou milhares de pessoas às ruas da cidade do Mindelo para demonstrar descontentamento pelo que consideram a concentração de investimentos na ilha de Santiago, a maior e mais populosa do país e onde se localiza a capital Praia.

O exemplo mais recente e que terá sido a "gota de água" na origem da manifestação foi a construção do novo campus da Universidade de Cabo Verde na cidade da Praia, sem prever uma extensão em São Vicente.

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

Pub
Pub