Prolongamento do quebra-mar e acessibilidades de Leixões com investimento de 141 ME

A administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) lançou hoje o concurso público para o prolongamento do quebra-mar exterior e das acessibilidades marítimas do porto de Leixões, em Matosinhos, conforme publicação em Diário da República.

A empreitada tem um valor de 141 milhões de euros e um prazo de execução de 30 meses, segundo o anúncio.

A 08 de fevereiro, em Leixões, a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, revelou que, no final do mês, nomeadamente dia 27, iriam ser apresentados novos investimentos para que o porto passe a receber mais e maiores navios.

"Ainda este mês vamos lançar novos investimentos porque precisamos de ampliar a capacidade do porto e acolher mais navios e navios maiores", disse na altura a ministra durante a apresentação do projeto de reconversão do terminal de contentores sul, um investimento de 43,4 milhões de euros totalmente privado.

Questionada sobre se uma dessas obras é o prolongamento do quebra-mar, situação que tem suscitado várias críticas por parte dos surfistas, Ana Paula Vitorino escusou-se a revelar, dizendo apenas que qualquer intervenção tem impactos, sendo objetivo que o impacto positivo seja superior ao negativo.

A Estratégia para o Aumento da Competitividade da Rede de Portos Comerciais do Continente -- Horizonte 2026 prevê o aumento da eficiência do terminal de granéis sólidos e alimentares (Norte) num investimento de 12 milhões de euros e a construção de um novo terminal de contentores com um custo estimado acima dos 170 milhões de euros.

Há outros investimentos, nomeadamente na Plataforma Logística de Leixões, prolongamento do quebra-mar ou melhoria das acessibilidades marítimas que, a juntar a estes dois, perfazem mais de 420 milhões de euros, maioritariamente privados.

A ministra ressalvou que o porto de Leixões é a "joia da coroa da região Norte e uma das joias da coroa da economia nacional", sendo, por isso, essencial continuar a crescer, o que apenas é possível com mais investimento.

Ler mais

Exclusivos