Portugal tem plano de contingência para bactéria 'Xylella fastidiosa' -- ministro

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, assegurou hoje que o Governo tem um plano de contingência para fazer face à bactéria 'Xylella fastidiosa' e que é necessário estar atento aos seus sintomas nas plantas.

"Temos um plano de contingência. Estamos a fazer prospeções simultâneas por todo o território e foi isso que nos permitiu detetar pela primeira vez numa planta que não é uma planta que tenha utilização económica", disse hoje o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural aos jornalistas, à margem de uma visita à Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda, onde acompanhou o primeiro-ministro António Costa.

Portugal informou oficialmente a Comissão Europeia da presença da bactéria 'Xylella fastidiosa' em plantas de lavanda no jardim de um 'zoo' em Vila Nova de Gaia, Porto, disse hoje à agência Lusa fonte comunitária.

A presença da bactéria, que ataca espécies como oliveiras e amendoeiras e para a qual não há cura, foi detetada "em 41 plantas de lavanda num jardim de um 'zoo' - ou seja, não numa zona agrícola - em Vila Nova de Gaia".

O ministro da Agricultura referiu que após a deteção da bactéria foram aplicadas as medidas corretivas, como "o imediato isolamento do local e a destruição de todas as plantas infetadas".

"Temos de estar atentos aos sinais. Os sintomas são conhecidos. A Direção Geral de Alimentação e Veterinária tem vindo a divulgá-los junto dos produtores. Naturalmente que a preocupação é muito grande, mas se estivermos todos atentos e atuarmos prontamente temos de coexistir com este problema, como coexistem os outros países que estão com ele confrontados".

Assegurou que o Governo estará à altura de controlar a bactéria 'Xylella fastidiosa' que "se teme muito que possa vir a afetar, sobretudo, os olivais".

A planta onde foi detetada a presença da bactéria 'Xylella fastidiosa' foi "destruída imediatamente depois de comunicação" da tutela, indicou hoje à Lusa fonte do Zoo de Santo Inácio, concelho de Vila Nova de Gaia.

Fonte deste equipamento confirmou que "no início do ano foram feitas análises às plantas" e que "a bactéria citada foi detetada num único canteiro".

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural disse que no país "não há mais casos conhecidos".

Desde 2015, têm sido detetadas diferentes subespécies da bactéria ?Xylella fastidiosa' em França, Espanha e Itália em espécies ornamentais e também agrícolas.

A subespécie multíplex está associada a 58 espécies/géneros de plantas, entre eles, a amendoeira, a cerejeira, a ameixeira, a oliveira, o sobreiro, a figueira e muitas plantas ornamentais e da flora espontânea.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.