Pompeo e Netanyahu mostram união no combate a "atos de agressão" do Irão

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, elogiou hoje em Israel as relações entre os dois países, durante uma visita que é vista como dando um novo impulso à campanha para a reeleição de Benjamin Netanyahu.

Lado a lado, o chefe da diplomacia dos Estados Unidos e o primeiro-ministro israelita mostraram como os seus países estão unidos no combate aos "atos de agressão" do Irão no Médio Oriente, tendo Netanyahu declarado que a pressão da administração de Donald Trump sobre Teerão tem dado frutos.

"Devemos aumentá-la, alargá-la (...) os Estados Unidos e Israel cooperam em estreita coordenação para fazer recuar os atos de agressão iranianos na região e no mundo", disse o chefe do governo israelita.

Netanyahu, que recebe Pompeo em plena campanha eleitoral para as legislativas de 09 de abril, é recebido na próxima semana por Trump em Washington, indicou hoje a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

O primeiro-ministro israelita reafirmou que o seu país continuará a agir contra o Irão, nomeadamente na vizinha Síria, cujo regime é apoiado pelos iranianos.

Pompeo reafirmou, por seu turno, o compromisso dos Estados Unidos em garantir a segurança do seu aliado israelita face à ameaça de um regime iraniano que, segundo ele, "procura a destruição absoluta de Israel".

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos iniciou no Koweit uma visita ao Médio Oriente que ainda inclui o Líbano.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).