Políticas ambientais de Guimarães destacadas por programa europeu

As políticas de boas práticas ambientais e promoção da biodiversidade da Câmara de Guimarães estão a ser destacadas como exemplo pelo URBACT, um programa europeu de intercâmbio e aprendizagem que promove o desenvolvimento urbano sustentável, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Guimarães refere que o projeto referenciado é o P2GREeN - Proteção e Promoção da Biodiversidade de Guimarães - Património Natural, criado e desenvolvido pelo município de Guimarães em parceria com o Laboratório da Paisagem e que se "assume como um Plano Integrado de Biodiversidade Urbana, que se pretende que adicione valor às áreas verdes da cidade, para que os cidadãos possam apreciá-las e respeitá-las"

O programa pretende ainda "contribuir para aumentar a importância das espécies autóctones".

Segundo a autarquia, o destaque deste projeto está patente na plataforma digital do programa URBACT, um programa de Cooperação Territorial Europeia "com o objetivo de promover o desenvolvimento urbano integrado e sustentável nas cidades da Europa".

No texto, refere-se ainda que a "missão do URBACT é permitir que as cidades trabalhem em conjunto e desenvolvam soluções integradas para os desafios urbanos comuns, trabalhando em rede, aprendendo com as experiências uns dos outros, tirando lições e identificando boas práticas para melhorar as políticas urbanas, apontando como exemplo as práticas desenvolvidas pela Câmara Municipal de Guimarães".

Quanto ao projeto P2GREeN, este é baseado num plano estratégico, que compreende duas etapas principais, ligadas entre si.

"A primeira etapa inclui uma fase de diagnóstico/caracterização de áreas verdes e biodiversidade, seguida pela segunda etapa de valorização das áreas verdes do município", lê-se.

A implementação pela parte do Laboratório da Paisagem inclui a fase de diagnóstico/caracterização com três ações distintas, que compartilham o objetivo de maximizar o conhecimento da área.

Inicialmente, propôs o mapeamento da presença de espécies exóticas invasoras, através do "Plano de Controle de Espécies Exóticas Invasoras", bem como a indicação de protocolos para a erradicação dessas espécies.

O reflorestamento das áreas identificadas é realizado por meio de um projeto de educação ambiental e envolvimento comunitário chamado "Guimarães mais Floresta", que também promove a conscientização sobre a importância de uma floresta autóctone.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.