Plataforma eletrónica da Taxa Municipal Turística do Porto está acessível

A plataforma eletrónica da Taxa Municipal Turística que entra em vigor no Porto a 01 de março está criada, indicou hoje a câmara, reafirmando que este imposto serve para "assegurar a continuidade do Porto como um destino sustentável".

A câmara informa que até 28 de fevereiro, os empreendimentos turísticos e estabelecimentos de alojamento local da cidade deverão proceder ao registo e à credenciação na plataforma, sítio criado para a declaração de cobrança da Taxa Turística.

O regulamento da Taxa Municipal Turística foi aprovado em dezembro último, entrando em vigor no dia 01 de março de 2018.

A taxa tem um valor de 2,00 euros por dormida e por pessoa, até ao máximo de 14,00 euros, o correspondente a sete noites seguidas de estadia/pessoa, sendo que estão previstas algumas exceções.

Estão isentos de a pagar hóspedes cuja estada seja motivada por tratamentos médicos, estendendo-se esta não sujeição a um acompanhante, bem como a hóspedes com incapacidade igual ou superior a 60%.

Na nota hoje publicada, a autarquia do Porto refere que "como tem vindo a sublinhar o presidente da câmara, Rui Moreira, as receitas serão utilizadas para mitigar o impacto do turismo na cidade".

Por fim, a câmara do Porto acrescenta que o lançamento da plataforma e o regulamento da Taxa Municipal Turística estão a merecer uma campanha de divulgação junto das entidades visadas.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz amanhã, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.