Pelo menos 18 mortos em incêndio numa clínica no Equador - novo balanço

Pelo menos 18 pessoas morreram na sexta-feira num incêndio numa clínica de tratamento de dependências, na cidade de Guayaquil, no Equador, segundo um novo balanço das autoridades.

O anterior balanço apontava para a morte de 16 pessoas por asfixia no interior das instalações.

Vários feridos, "com queimaduras nas vias respiratórias", cujo número não foi especificado, foram transportados para o hospital.

O vice-presidente equatoriano, Otto Sonnenholzner, lamentou a tragédia e disse que as regras de funcionamento destes centros de reabilitação serão revistas.

"Os meus pêsames às famílias dos 18 compatriotas que morreram em Guayaquil. Investigaremos as causas (...) e vamos rever as regras de funcionamento dos centros de reabilitação", escreveu Sonnenholzner na sua conta na rede social Twitter.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.