Pedrógão Grande: Autoridades são-tomenses expressam condolências ao governo português e família das vítimas

O presidente de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, expressou hoje um "sentimento de pesar ao povo português e em particular as famílias enlutadas" pelo "trágico acontecimento" com o incêndio que provocou dezenas de vítimas mortais.

"Foi um fim de semana bastante triste pela ocorrência em Portugal de uma grande tragédia provocada por um incêndio que causou várias mortes", disse o chefe de estado em declaração aos jornalistas.

"Solidarizamo-nos com o povo português e gostaria de expressar os nossos votos de condolência ao povo português e, fundamentalmente, às família das vítimas e dizer que em nome do povo são-tomense e em meu nome próprio estamos solidários com o governo português, esperando que tudo seja feito para rapidamente terminar essa tragédia", disse Evaristo Carvalho.

O Governo são-tomense também apresentou condolências ao Governo numa mensagem transmitida pelo ministro são-tomense dos negócios estrangeiros e comunidades, Urbino Botelho que em nome assinou esta tarde o livro de condolências na embaixada de Portugal.

"Acabei de assinar o livro de condolências em nome do governo são-tomense", disse Urbino Botelho.

"Queríamos manifestar o nosso pesar e o sentimento de profunda solidariedade para com o povo da república portuguesa, nesta hora de dor e de luto", explicou o ministro dos negócios e Estrangeiros e comunidade são-tomense.

Dezena de milhar de cidadãos são-tomense vivem em Portugal e o chefe da diplomacia são-tomense garantiu não haver concidadãos seus entre as vítimas deste incêndio.

Entretanto, numa declaração a imprensa o partido Ação Democrática Independente (ADI) expressou também ao povo português em particular e os familiares das vítimas em particular o sentimento de pesar pelo trágico acontecimento.

O fogo, que deflagrou às 13:43 de sábado, em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e entrou também no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã.

O último balanço dá conta de 64 mortos e 135 feridos. Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas. Além de Pedrógão Grande, existem quatro grandes fogos a lavrar nos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco.

Ler mais

Exclusivos