PCP/Açores pede "urgente reforço" de medidas contra a seca na região

O PCP/Açores, representado no parlamento regional pelo deputado João Paulo Corvelo, pediu hoje do executivo açoriano um "urgente reforço" de medidas contra a seca, nomeadamente na ilha das Flores.

"A situação é de tal forma preocupante, angustiante e grave que em pleno verão, altura em que os lavradores/produtores deveriam estar a proceder à engorda dos seus animais para abate/exportação no final do verão se veem na necessidade de recorrer ao corte de incenso e cana roca para manter vivos os seus animais", sustentam os comunistas em nota de imprensa.

Perante a situação que se vive, e apesar de medidas tomadas pelo Governo Regional no sentido de minorar os efeitos da situação de seca, estas são, advoga o PCP, "manifestamente insuficientes".

O partido sustenta: "Com a máxima celeridade e urgência" torna-se necessário "o reforço destas medidas no sentido de evitar a falência total das explorações".

A nota dos comunistas açorianos centra-se na seca que vem afetando a ilha das Flores, nomeadamente a freguesia de Ponta Delgada, mas o problema atravessa várias ilhas do arquipélago neste verão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.