Passos Coelho realça papel da agricultura para acrescentar valor às exportações

O presidente do PSD realçou hoje, em Santarém, o papel da agricultura na redução das importações incorporadas em produtos que o país exporta, contribuindo para a introdução de valor acrescentado nas exportações portuguesas.

Numa visita à 54.ª Feira Nacional da Agricultura/64.ª Feira do Ribatejo, que começou sábado no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém, onde decorre até dia 18, Pedro Passos Coelho disse que a agricultura pode "acrescentar mais valor" à produção e, sobretudo, às exportações, frisando que o país precisa, nos próximos anos, de crescer muito nas exportações "com mais valor acrescentado".

"A minha perspetiva era que pudéssemos chegar a 2020 com cerca de 50% do Produto Interno Bruto em exportações portuguesas, mas mais importante do que ter metade do produto exportado é ter metade do produto com mais valor acrescentado, quer dizer com menos importações metidas nos produtos que exportamos, porque isso significaria que mais valor fica, mais rendimento fica em Portugal, e é isso que nos interessa", afirmou.

Para o líder social-democrata, a agricultura, seja primária seja transformada, pode representar "um impulso muito grande" para introduzir cada vez mais valor acrescentado no que o país pode exportar.

"Agora para isso é preciso que algumas condições se vão verificando", disse, sublinhando que na visita à feira encontra "uma boa oportunidade para poder ouvir as pessoas que trabalham nesta área", conhecendo as suas expectativas e propostas, para "saber em que medida é que os poderes públicos podem ajudar a que esta atividade possa ainda crescer mais e acrescentar valor".

Passos Coelho afirmou que a feira que se realiza em Santarém há mais de meio século é "um marco importante" de um setor que "cresceu muito ao longo dos últimos anos" e que "foi muito importante para o crescimento da economia" nacional.

O CNEMA espera mais de 200.000 visitantes e 40.000 profissionais ao longo dos nove dias do certame, tendo agendados mais de 30 seminários e iniciativas para profissionais, que trarão a Santarém especialistas nacionais e estrangeiros e vários responsáveis políticos, portugueses e europeus.

Concursos e provas nacionais de várias raças de animais e a presença dos produtos vencedores dos concursos nacionais promovidos pelo CNEMA -- pão, broas, empadas, gelados, folares, doçaria conventual e tradicional, enchidos, licores, carnes, ervas aromáticas, azeitonas, azeites, vinagres, mel, vinhos -, "permitem o contacto direto do consumidor com o que de melhor se faz no setor", afirma a organização.

Produtos de "grande qualidade" são dados a degustar no Salão Prazer de Provar e nas "provas na cozinha", estendendo-se a oferta do que de melhor se produz em Portugal ao espaço onde se concentram os restaurantes de carnes autóctones e as tasquinhas de associações e coletividades da região.

O cartaz de espetáculos abriu sábado com a atuação de Richie Campbell, estando marcados concertos de David Antunes (quarta-feira), Ana Moura (sexta-feira) e Ana Carolina (sábado), e atuações de vários DJ, além de manifestações típicas do Ribatejo.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.