Papa: Fraternidade criada por Lefebvre saúda visita de Francisco a Fátima

O responsável na Península Ibérica da Fraternidade Sacerdotal São Pio X considerou uma "boa notícia" a peregrinação do papa Francisco a Fátima, mas nota que o seu antecessor está mais "próximo" da irmandade fundada por Marcel Lefebvre.

"Para a irmandade de São Pio X é uma boa notícia que o papa vá a Fátima nesta ocasião do centenário das aparições e cremos que esta é uma ocasião para animar os católicos com a mensagem da Virgem Maria que é, principalmente, uma mensagem de penitência e ao mesmo tempo de fé", afirmou à agência Lusa o padre Philippe Brunet, superior da Casa Autónoma de Espanha e Portugal da Fraternidade Sacerdotal São Pio X.

O sacerdote adiantou que é "um desejo que esta irmandade tem de que o papa Francisco realize a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria como a Virgem Maria pediu a Lúcia, que é o meio principal para se obter na paz no mundo".

Ao papa, que peregrina na sexta-feira e no sábado ao Santuário de Fátima, para o centenário das "aparições" e para a canonização dos beatos Francisco e Jacinta Marto, Philippe Brunet pede que "tenha o seu papel de defender a fé e a difusão da fé, que é o seu papel principal".

"Francisco é o papa da Igreja e aceitamo-lo totalmente", acrescentou o responsável, que não estará em Fátima para a peregrinação internacional aniversária de 12 e 13 de maio.

Sobre as diferenças entre o papa Francisco e o papa emérito Bento XVI, que também peregrinou a Fátima em 2010, Philippe Brunet considerou que o último "era mais próximo" da irmandade "no sentido da liturgia e do ponto de vista da teologia".

"O papa Francisco é mais prático, com uma relação humana mais fácil, é mais pragmático", declarou, exemplificando que deu aos sacerdotes da fraternidade os poderes da confissão e da celebração do matrimónio.

A Fraternidade Sacerdotal São Pio X foi criada em 1970 por monsenhor Marcel Lefebvre para dar corpo à sua recusa em aceitar as reformas na Igreja Católica introduzidas pelo Concílio Vaticano II.

Em janeiro de 2009, Bento XVI levantou a excomunhão aos quatro bispos integristas ordenados em 1988 pelo arcebispo Lefebvre (1905-1991).

Antes, em 2007, o papa publicou um documento em que permitia e definia as condições para a celebração da missa segundo o rito anterior ao Concílio Vaticano II - tridentino -, que é seguido pela fraternidade.

Em Portugal, a Fraternidade Sacerdotal São Pio X conta com capelas em Lisboa, Porto, Fátima e Viseu, segundo a página na Internet da instituição, e tem cerca de 150 seguidores.