Orçamento da Câmara de Vila Velha de Ródão para 2019 é de 10,2 ME

O orçamento da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão para 2019 é de 10,2 milhões de euros, mais 1,1 milhões do que 2018, foi hoje anunciado.

"O município encontra-se a realizar o maior volume de investimento de sempre, sendo este ainda mais significativo quando é feito quase exclusivamente com capitais próprios", refere, em comunicado, o presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão.

Luís Pereira explica que os fundos comunitários representam uma parcela "muito insignificante" no que se refere à alavancagem destes projetos e realça que estes são concretizados sem a necessidade de endividamento e sem recurso ao crédito, "situação sem correspondência a nível nacional".

Adianta ainda que se trata de um aumento de 12,31% face ao orçamento do ano anterior (2018) e que vem reforçar uma tendência já registada nos orçamentos anteriores.

"Considerando os agregados da receita de capital/despesa de capital, verificamos que esta representa apenas 53,97% das despesas de capital, recorrendo o município a receita corrente e a fundos próprios para a concretização dos seus projetos de investimento", sublinha.

O autarca salienta ainda que há um crescimento de investimento este ano em relação ao orçamento do ano anterior na ordem dos 21% e um incremento em termos de investimento de capital de 10%.

"À semelhança dos exercícios económicos anteriores, temos cumprido integralmente os limites de endividamento, nos termos da Lei das Finanças Locais, continuando a reduzir a dívida e a aumentar a nossa margem disponível", sustenta.

A habitação e serviços coletivos sofreram um substancial crescimento, justificado com o investimento que o município se encontra a realizar e que prevê concluir no próximo ano, com a construção de 18 fogos habitacionais, na Quinta da Torre.

"Este é um projeto que irá dar continuidade às políticas de fixação de pessoas no concelho, procurando fazê-lo através da reabilitação de imóveis e construção para disponibilização no mercado de venda e arrendamento", explica o autarca.

As infraestruturas viárias representam outra das grandes áreas de investimento do orçamento, sendo que está prevista a requalificação da Rua da Estrada N.º 18, em Vila Velha de Ródão, a beneficiação do caminho agrícola Vilas Ruivas/Perdigão e a requalificação de diversas estradas e caminhos no concelho.

A proteção, conservação e valorização do património natural são outras das preocupações contempladas no orçamento, através do desenvolvimento de projetos como a segunda fase da Praia Fluvial da Foz do Cobrão, a produção da cartografia de risco no âmbito das alterações climáticas e a requalificação ambiental do Ribeiro do Enxarrique.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.