Open da Austrália: João Sousa admite que "procurava" os quartos de final na Austrália

O português João Sousa mostrou-se hoje orgulhoso da qualificação para os quartos de final de pares do Open da Austrália em ténis, um resultado que procurava já há algum tempo com o parceiro argentino Leonardo Mayer.

"É um grande resultado para nós. No ano passado já tínhamos jogado bem nos 'Grand Slams', mas perseguíamos este resultado. É sempre bom jogar ao lado de um bom amigo e de uma boa pessoa como é o Leo. Estamos muito contentes", afirmou em ?court' o vimaranense, após o triunfo por 6-3 e 6-4.

Depois de eliminado pelo japonês Kei Nishikori, na terceira ronda de singulares, João Sousa juntou-se a Leonardo Mayer para bater o chileno Nicolas Jarry e o argentino Maximo González e igualar o melhor resultado alcançado em 'majors', depois dos quartos de final no US Open em 2015.

"Tentamos comunicar bem e fazer o nosso melhor. Claro que há alguma tática e estivemos bem também nesse aspeto", destacou João Sousa, número um português e 44.º do 'ranking' ATP de singulares, que está a fazer o nono torneio do 'Grand Slam' na companhia do argentino.

O próximo desafio de Sousa e Mayer, que vão lutar por uma presença inédita nas meias-finais de um torneio do 'Grand Slam', será diante o neozelandês Michael Venus (campeão de Roland Garros e do Estoril Open, ambos em 2017, com Ryan Harrison) e o sul-africano Raven Klaasen, uma dupla que venceu o ATP 250 de Marselha em 2018.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.