Obrador e Trump discutem redução da migração na fronteira entre México e EUA

O presidente eleito do México, Andrés Manuel Lopez Obrador, propôs ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, um plano para criação de empregos naquele país, "reduzir a migração" e "melhorar a segurança" na fronteira.

"Recebi um telefonema de Donald Trump, conversámos por meia hora e sugeri que ele considerasse um acordo global: projetos de desenvolvimento que criam empregos no México e, ao mesmo tempo, reduzir a migração e melhorar a segurança ", escreveu o novo Presidente mexicano na rede social Twitter.

Trump afirmara pouco antes que tinha tido uma "boa conversa" com Lopez Obrador, prevendo um "bom relacionamento" no futuro.

"Acho que ele nos vai tentar ajudar na fronteira", acrescentou.

Obrador, de 64 anos, obteve uma vitória histórica do domingo nas eleições presidenciais mexicanas, ao garantir mais de 52,9% dos votos.

"Há muito a fazer pelo bem dos Estados Unidos e do México!", publicou Donald Trump, também no Twitter, após o anúncio da vitória histórica de Lopez Obrador, que assegurou mais tarde que queria uma relação de "amizade e cooperação" com os Estados Unidos.

O presidente norte-americano acusou repetidamente o México de "não fazer nada" para impedir que imigrantes centro-americanos chegassem à fronteira com os Estados Unidos, e prometeu construir um muro para impedir a imigração ilegal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.