Morreu o artista plástico Vasco Berardo

O pintor, escultor e ceramista Vasco Berardo, cofundador do Movimento Artístico de Coimbra (MAC), morreu hoje nesta cidade.

Nascido em 1933, Vasco Berardo morreu no polo Hospital Geral do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e o seu corpo estará em câmara ardente, no domingo, a partir das 14:30, no Centro Funerário Nossa Senhora de Lurdes -- Capela Ressurreição, disse a funerária Servilusa.

Na segunda-feira, às 10:30, terão início as exéquias fúnebres, seguindo o corpo para o Complexo Funerário Municipal de Coimbra, onde será cremado.

Vasco Berardo, além de cofundador do MAC, deixou a sua marca na cidade, com a inscrição em vários dos murais que se observam em Coimbra.

Deixou um trabalho transversal, desde a cerâmica, a medalhística, a tapeçaria, a pintura e a azulejaria.

Foi também um dos colaboradores do Círculo de Artes Plásticas de Coimbra.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.