MNE elogia libertação de Bagouz e mantém determinação" até à derrota total" do EI

O ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) congratulou-se hoje com a libertação da cidade síria de Bagouz, último reduto do autoproclamado califado do Estado Islâmico (EI), mas sublinha que a ameaça "permanece" e deve ser combatida até à "derrota total".

As Forças Democráticas Sírias (FDS) anunciaram no sábado que o "califado" do grupo extremista Estado Islâmico (EI) foi totalmente eliminado, após combates em Bagouz, o último reduto 'jihadista' na Síria.

"Bagouz é livre e a vitória militar contra o 'Daesh' foi alcançada", declarou um porta-voz das FDS, Mustefa Bali, num comunicado.

Na sua conta da rede social Twitter, o MNE elogia o "enorme progresso" conseguido com a libertação da Síria e a "coragem e empenho das forças militares da Coligação" e seus parceiros que permitiram "importantes sucessos no combate ao grupo terrorista".

Afirma ainda que mantém "a determinação até à derrota total do 'Daesh' e da sua ideologia, que permanece uma ameaça".

Combatentes curdos e árabes das FDS, apoiados pela coligação internacional liderada pelos EUA e que integra mais de 70 países, estavam há várias semanas a combater os 'jihadistas'. Embora já não controle territórios, os Estados Unidos, calculam que o grupo extremista ainda tem até 20.000 militantes na Síria e no Iraque.

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.