Mecanismo financeiro EEA Grants com 9ME para apoiar cultura portuguesa

Lisboa, 18 abr 2019 (Lusa) - O mecanismo financeiro EEA Grants, que envolve a Noruega, a Islândia e o Lichenstein, destinará nove milhões de euros para investimentos na área da Cultura em Portugal até 2021, segundo informação disponibilizada na página oficial.

O EEA Grants é um mecanismo financeiro do Espaço Económico Europeu dirigido por aqueles três países doadores para programas de apoio aos Estados-membros da União Europeia, com distribuição de verbas para diferentes programas.

Para Portugal, para o período 2014-2021 estão alocados 102,7 milhões de euros para cinco programas, dos quais nove milhões destinam-se a projetos de Cultura em dois eixos: Património Cultural e programação artística.

De acordo com a informação publicada na página dos EEA Grants Portugal, na área da Cultura serão financiados projetos relacionados com o mar, com a zona costeira portuguesa e com o património subaquático.

No eixo do Património Cultural, está previsto o apoio à reabilitação e requalificação de património móvel, imóvel e imaterial das zonas costeiras, projetos de salvaguarda de património subaquático e um projeto de digitalização e divulgação de obras fílmicas ligadas à temática do mar.

No eixo das Artes, serão apoiados projetos de programação artística "em territórios de baixa densidade de Portugal continental e das regiões autónomas", abrangendo artes visuais, artes performativas e de cruzamento disciplinar, do cinema e da literatura.

Aos nove milhões de euros deste mecanismo financeiro serão adicionados 1,5 milhões de euros de comparticipação portuguesa, com a Direção-Geral do Património Cultural a ser a operadora do programa, em articulação com a Direção-Geral das Artes.

Além da Cultura, o EEA Grants Portugal apoia projetos nos programas "Crescimento Azul", "Ambiente", "Conciliação e Igualdade de Género" e "Cidadãos Ativ@s" no período 2014-2021.

A apresentação do programa para a Cultura está marcada para o dia 23, com a presença da ministra da Cultura, Graça Fonseca, nas futuras instalações do Centro Nacional de Arqueologia Náutica e Subaquática, em Lisboa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".