Maioria dos autarcas favoráveis à regionalização a curto prazo - Estudo

Mais de dois terços dos autarcas são favoráveis à regionalização a curto prazo, uma opinião transversal a todos os partidos políticos, segundo um estudo hoje divulgado.

O inquérito sobre a "Organização do Estado e as competências dos municípios" foi realizado pelo ISCTE -- Instituto Universitário de Lisboa e foi apresentado no "Fórum Políticas Públicas 2019 -- Desenvolvimento, Descentralização e Poder Local", que hoje decorre na Assembleia da República.

De acordo com o estudo, 77% dos autarcas quer a criação de regiões administrativas no curto prazo e 84% destes defendem regiões administrativas com órgãos próprios eleitos diretamente.

"Os concelhos de natureza rural refugiam-se na resposta neutra, mas os autarcas metropolitanos convergem na ideia de que as áreas metropolitanas deviam ter um Governo próprio eleito por sufrágio", sublinhou Raul Lopes, do ISCTE, que apresentou os resultados.

Segundo os resultados, 83% dos autarcas das áreas metropolitanas defendem a criação de um governo metropolitano, eleito por sufrágio.

Os resultados do inquérito sublinham que "a regionalização é uma ambição transpartidária", com 100% dos autarcas da CDU a defenderem a criação de regiões administrativas a curto prazo, assim como 85% dos autarcas socialistas, 67% dos autarcas do PSD e 67 dos autarcas centristas.

No que respeita à origem regional dos autarcas, "a regionalização é uma ambição que se sobrepõe aos desequilíbrios regionais de desenvolvimento", com 70% dos autarcas das regiões autónomas a defenderem a criação das regiões administrativas, assim como 80% dos autarcas do interior e 75% dos autarcas do litoral.

O estudo foi realizado junto de autarcas de municípios e de freguesias e teve uma amostra representativa próxima da distribuição real, tendo em conta a representatividade partidária, a dimensão dos concelhos e a distribuição geográfica.

Ler mais

Exclusivos