Mafra quer abolição de portagens no troço Malveira-Venda do Pinheiro da A21

Mafra, Lisboa, 22 fev (Lusa)- A Assembleia Municipal de Mafra, no distrito de Lisboa, exigiu a abolição de portagens no troço Malveira-Venda do Pinheiro da autoestrada A21 (Malveira/Mafra/Ericeira), numa moção a que a agência Lusa teve hoje acesso.

A abolição das portagens neste troço permitirá "reduzir o tráfego entre a Malveira e a Venda do Pinheiro", refere a moção, apresentada pelo PS e aprovada por unanimidade na noite de quinta-feira.

O líder da bancada do PS na Assembleia Municipal, Renato Santos, explicou à agência Lusa que, desde que foi inaugurado, em dezembro, o Parque Intermodal da Venda do Pinheiro "aumentou o tráfego na Estrada Nacional EN8, entre a Malveira e a Venda do Pinheiro.

Nas horas de maior movimento, aumentaram as filas de trânsito. Aos condutores que optam por entrar na autoestrada A8 na Venda do Pinheiro, vieram juntar-se aqueles que passaram a apanhar os autocarros no Parque Intermodal, onde têm estacionamento para os seus veículos.

Com a entrada em vigor do passe de 40 euros nos transportes públicos para a Área Metropolitana de Lisboa, os autarcas perspetivam um aumento ainda maior de tráfego no troço da Estrada Nacional 8, entre a Malveira e a Venda do Pinheiro.

Segundo a moção, a abolição de portagens no troço Malveira-Venda do Pinheiro da A21 permitiria reduzir o tráfego e o número de automóveis dentro das duas localidades, aumentar a qualidade de vida e do ar e a segurança dos cidadãos que circulam a pé nessa zona.

A moção recorda que o troço Malveira-Venda do Pinheiro da A21 já esteve isento de portagens quando a autoestrada era explorada pela empresa municipal Mafratlântico, mas deixou de o ser quando aquela foi vendida ao Estado.

A isenção de portagens viria também "repor um direito" e "permitir uma melhor gestão dos parques intermodais construídos pelo município".

Exclusivos