Lisboa assinala Semana Europeia da Mobilidade com várias atividades sustentáveis

Lisboa vai celebrar a Semana Europeia da Mobilidade, a partir do próximo domingo, com diversas atividades que visam "promover a mobilidade sustentável na cidade", anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Lisboa avança que entre os dias 16 e 22 de setembro os cidadãos terão "à disposição uma variedade de ações gratuitas", como conferências, 'workshops', circuitos e oficinas de bicicletas, passeios de 'scooters' elétricas, entre "muitas outras atividades para miúdos e graúdos".

A Semana Europeia da Mobilidade, uma iniciativa da Comissão Europeia, "pretende chamar a atenção dos cidadãos para a importância da adoção de comportamentos que contribuam para uma mobilidade amiga do ambiente e para uma melhor qualidade de vida", destaca a mesma nota.

Assim, todas as atividades "visam sensibilizar para o uso de transportes públicos, de veículos de mobilidade partilhada e para deslocações a pé ou de bicicleta, excluindo os veículos particulares", vinca o comunicado enviado pelo município lisboeta, liderado pelo socialista Fernando Medina.

A Câmara de Lisboa destaca a conferência 'Mobilidade Inteligente para Cidades do Futuro!', que terá lugar na quinta-feira, 20 de setembro, no Museu do Dinheiro, entre as 09:00 e as 13:00, e que contará com especialistas "das várias áreas da mobilidade sustentável, nomeadamente serviços inovadores de mobilidade partilhada, empresas de transportes públicos e logística urbana".

Já no sábado, dia 22 de setembro, último dia das comemorações, a capital lisboeta vai contar com o evento de encerramento 'Dia Europeu sem Carros', a ter lugar na Avenida da Liberdade, entre as 14:00 e as 19:00. A entrada é gratuita e o evento vai proporcionar aos visitantes demonstrações e experimentações de veículos, jogos, experiência virtual em meio urbano, gincanas, área 'kids', entre outras atividades lúdicas, finaliza o comunicado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.