Líder supremo do Irão apela ao aumento da produção para resistir a sanções

O líder supremo do Irão afirmou que o aumento da produção é "a chave" para salvar a economia do país, em recessão depois do restabelecimento das sanções económicas dos Estados Unidos.

"As dificuldades relativas aos meios de subsistência das pessoas aumentaram, especialmente nos últimos meses", disse Ali Khamenei, por ocasião do início das celebrações do Ano Novo no Irão.

"A economia é o problema mais urgente do país, é o problema mais grave e essencial", reconheceu o governante, mencionando a desvalorização da moeda nacional, o declínio do poder de compra e a queda da produção.

Para Ali Khamenei, o aumento da produção é questão-chave para salvar a economia iraniana: "Produção nacional será a palavra de ordem para o novo ano que arranca hoje".

De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Irão está a sofrer com o restabelecimento das sanções norte-americanas após a retirada unilateral dos EUA do acordo nuclear, em 2018, ano em que a economia iraniana entrou em recessão. O FMI previu uma queda de 3,6% no Produto Interno Bruto (PIB) para 2019.

Também o Presidente iraniano, Hassan Rouhani, falou sobre as sanções dos EUA na mensagem de Ano Novo, transmitida na televisão estatal imediatamente após a mensagem de Ali Khamenei.

"Alguns devem questionar quanto tempo vão durar estas sanções" disse Rouhani. "Estes problemas começaram com aqueles que quebraram os juramentos", numa alusão aos norte-americanos.

"A solução para acabar com eles [os problemas] está nas nossas mãos", disse.

O Presidente pediu também unidade aos iranianos. "Quanto mais unidos estivermos, mais o inimigo perceberá que estas sanções fortalecem a coesão de nosso país, e mais ele se arrependerá", advertiu.

Rouhani exortou ainda todos os setores do Governo, as forças armadas e todos os iranianos a "porem de lado divergências de opinião" para poderem ultrapassar os problemas económicos.

Ler mais

Exclusivos