Jovem futebolista Vasco Paciência assina pelo Benfica até 2023

O futebolista Vasco Paciência, irmão do internacional português Gonçalo Paciência, assinou contrato com o Benfica até 2023, com o objetivo de ser integrado nos escalões de juniores, sub-23 e equipa B, anunciou hoje o clube lisboeta.

"Vasco Paciência assinou contrato com o Sport Lisboa e Benfica até 2023. O avançado, de 18 anos, chega proveniente do Boavista e vai evoluir nos contextos de juniores, sub-23 e equipa B", indica o Benfica no seu site oficial.

O jogador fez a formação no FC Porto, mas estava atualmente ligado ao Boavista, pelo qual chegou a ser convocado por três vezes para a equipa principal, sem ser utilizado, mas tendo sido elogiado pelo treinador Jorge Simão.

"O Vasco Paciência vai ser um caso sério. As pessoas da minha geração lembram-se do Domingos e ele é muito semelhante na forma de jogar, tem as mesmas características. Para além disso, tem uma estrutura mental forte", disse o treinador.

Vasco não só é irmão de Gonçalo Paciência, que representa os alemães do Eintracht Frankfurt, mas é também filho do treinador Domingos Paciência, antigo avançado e internacional que se notabilizou como goleador ao serviço do FC Porto.

Na carreira, Vasco Paciência começou nas escolas do FC Porto, clube no qual chegou aos juniores, já depois de ter representado também o Padroense. Nesta época assinou pelo Boavista, tendo disputado 12 jogos pelos juniores e marcado seis golos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.