Indústria de panificação do Norte cria marca para diferenciar pão tradicional

O presidente da Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares do Norte (AIPAN) anunciou hoje a criação de uma marca comum às cerca de 3.800 unidades industriais do setor existente a norte de Aveiro.

Segundo António Fontes, a criação de uma marca comum da panificação tradicional da região Norte visa torná-la "ainda mais distintiva" e reforçar as "garantias nutricionais e de qualidade" que se dá ao consumidor com o pão "feito ao gosto português e de acordo com receituários ancestrais".

"A criação da marca vinha sendo equacionada no seio da associação, mas a decisão só foi tomada após o Congresso Internacional da Panificação Tradicional Portuguesa", que se realizou na quarta-feira, na Maia, disse o dirigente da AIPAN.

António Fontes frisou o "eco positivo" que a proposta de criação de uma "marca comum forte" suscitou junto do meio milhar de congressistas e das outras duas associações empresariais que apoiaram a realização do evento, a Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares e a Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares de Lisboa.

A logomarca escolhida inclui a representação gráfica de um forno tradicional e de um pé de trigo estilizado, acompanhada do 'slogan' "Em nome do pão".

Os objetivos do projeto passam pelo "reconhecimento da tradição como fator distintivo" da oferta do setor, o reforço da sua "capacidade de inovação" e a "definição das tendências de consumo".

Segundo António Fontes, a articulação entre as três associações representativas da indústria portuguesa de panificação "é crescente" e está a "dar frutos", referindo como exemplo dessa sintonia o acordo firmado com o Ministério da Saúde, no princípio do ano, para reduzir a quantidade de sal no pão.

Nos termos desse acordo, como realçou o secretário de Estado Adjunto e da Saúde no encerramento do Congresso Internacional da Panificação Tradicional Portuguesa, os fabricantes que, voluntariamente e antes de 2021, baixem o teor de sal no pão, do atual limite máximo obrigatório (1,4 gramas) para um grama apenas por cada 100 gramas de produto final, vão poder exibir um "selo de qualidade", oficialmente designado por "Selo de excelência: menos sal, mesmo sabor".

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.