Grupo Vougainvest investe 40 ME para ampliar e renovar Glicínias Plaza em Aveiro

O centro comercial Glicínias Plaza, em Aveiro, vai ser alvo de uma ampliação e renovação, no valor total de 40 milhões de euros, com a construção de dois novos pisos, divulgou hoje o Grupo Vougainvest, proprietário do espaço.

Em comunicado, o Grupo revelou que a realização do projeto vai aumentar a área bruta locável de 28 mil metros quadrados para 41 mil metros, estando também prevista a abertura de mais 45 lojas e a criação de 500 lugares de estacionamento.

"[A cidade beneficiará com] o natural aumento de oferta comercial, oferta de centenas de novos empregos, a continuidade da existência de um local de lazer, com condições melhoradas, e a dotação da região envolvente ao Glicínias", afirma, em comunicado, Jorge Buco, diretor geral do Grupo Vougainvest.

Também a zona envolvente do edifício vai sofrer alterações com "a melhoria de algumas vias de comunicação, a criação de espaços verdes e a construção de um parque infantil", acrescenta o documento.

As obras vão começar em janeiro de 2018, esperando-se que se prolonguem até outubro de 2019, sendo que durante esse período, o centro comercial continuará a funcionar normalmente.

A apresentação do projeto está marcada para dia 18 de setembro, no museu de Santa Joana, em Aveiro, estando previstas as presenças de Jorge Buco, do gerente do Grupo, Daniel Lafforgue, do arquiteto responsável pelo projeto, Vítor Pais, e do presidente da Câmara de Aveiro, José Ribau Esteves.

.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.