Governo proíbe queimadas até domingo devido a risco de incêndio florestal

O Governo proibiu a realização de queimadas em todo o território nacional a partir das 00:00 de hoje, uma vez que as previsões meteorológicas apontam para um "agravamento do risco de incêndio florestal" no país.

Os ministros da Administração Interna e da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural assinaram na terça-feira o despacho que determina a Declaração da Situação de Alerta.

O despacho proíbe a "realização de queimadas, de queimas de sobrantes de explorações agrícolas e florestais e de ações de gestão de combustível com recurso à utilização de fogo", refere em comunicado o Ministério da Administração Interna.

O documento acrescenta que no âmbito da Declaração da Situação de Alerta serão ainda implementadas as medidas de caráter excecional de dispensa dos trabalhadores dos setores público e privado "que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário", bem como a "elevação do grau de prontidão e resposta operacional" por parte da GNR e da PSP, com reforço de meios.

Esta situação de alerta abrange todos os distritos do Continente entre as 00:00 de hoje e as 23:59 de domingo, dia 31 de março.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.