Governo encerrou na sexta-feira o pagamento aos agricultores com prejuízos até cinco mil euros

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, disse hoje, em Castanheira de Pêra, que o seu ministério encerrou na sexta-feira o pagamento aos agricultores afetados pelos grandes incêndios de 2017.

"Foi um esforço gigantesco que envolve mais de 24 mil agricultores e para os quais há um apoio financeiro que ascende a 88 milhões de euros", salientou o governante na conferência "Valorizar o Interior - Promover o investimento e o emprego", promovida pela Confagri e UGT.

Segundo Capoulas Santos, o Ministério da Agricultura encerrou o processo de pagamento aos agricultores afetados pelos incêndios de junho e outubro na região Centro com prejuízos até cinco mil euros, que tinham recebido até ao final o ano 75% do apoio concedido.

"Reservámos o restante do pagamento [25%] após a verificação dos controlos, infelizmente as irregularidades detetadas foram poucas, cerca de 800", disse o ministro.

Cerca de metade dos 24 mil apoiados receberam a última tranche na sexta-feira por transferência bancária e os restantes agricultores, que não têm conta bancária, vão receber durante a semana por vale postal.

Os 900 projetos de maior dimensão, que vão dos cinco mil até aos 800 mil euros, serão pagos contra a comprovação dos investimentos, adiantou o governante.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

O Mourinho dos Mourinhos

"Neste país todos querem ser Camões mas ninguém quer ser zarolho", a frase é do Raul Solnado e vem a propósito do despedimento de José Mourinho. Durante os anos de glória todos queriam ser o Mourinho de qualquer coisa, numa busca rápida encontro o "Mourinho da dança", o "Mourinho da política", o "Mourinho da ciência" e até o "Mourinho do curling". Os líderes queriam ter a sua assertividade, os homens a sexyness grisalha e muitas mulheres queriam ter o Mourinho mesmo.