Futebol: I Liga / Rio Ave -- Feirense (declarações)

Declarações após o jogo Rio Ave-Feirense (0-0), da 18.º jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado hoje em Vila do Conde:

Daniel Ramos (treinador Rio Ave): "Tivemos um início com algumas dificuldades, mas fomos ganhando confiança e aproximando-nos da baliza do Feirense, numa primeira parte e equilibrada, mas com pouco perigo junto das duas balizas.

O segundo tempo foi diferente, com mais oportunidades de parte a parte, onde tivemos um claro ascendente, várias situações de golo, mas com dificuldade na finalização. Faltou-nos clarividência para conseguirmos fazer melhor.

Acabou por ser um jogo equilibrado, com mais domínio e posse da nossa parte, mas com m Feirense que nos foi travando as iniciativas.

Na parte ofensiva ficámos um pouco aquém do queríamos, pois não mostramos algumas das características da equipa. Não tirámos proveito da capacidade de criar desequilíbrios, mesmo tendo mais ascendente".

Nuno Manta Santos (Treinador Feirense): "Sabíamos que era importante somar pontos, conseguimos um, e, como costumo dizer, 'mais vale somar que sumir'. Se fosse noutra altura do campeonato diria que era positivo, mas queríamos mais.

Tivemos sempre o foco na baliza adversária, a talvez as melhores e mais flagrantes oportunidades para marcar. A equipa teve uma boa atitude, notou-se que estava convicta que podia vencer. Não conseguimos e temos de trabalhar para já evoluir já no próximo jogo.

Estamos a tentar estabilizar e nos últimos quatro jogos não perdemos. Vamos crescer e com uma vitória as coisas vão certamente alterar-se. Não vamos atirar a toalha ao chão".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.