Francisca Van Dunem assinala necessidade de "manter viva a voz" de Mandela

A ministra da Justiça portuguesa, Francisca Van Dunem, sublinhou hoje, dia em que se celebra o centenário do nascimento de Nelson Madela, que celebrar a efeméride "é manter viva a sua voz" e "a coragem da sua determinação".

Na sessão de homenagem a Nelson Mandela, promovida pelo Ministério da Justiça e pela União Internacional de Advogados (UIA), Francisca Van Dunem acentuou "a dimensão integral de lutador pela causa da liberdade, da não discriminação e da paz".

"Assistimos, aqui, nesta singela cerimónia, a um tributo a um homem singular. Um homem que quebrou barreiras -- do medo, da violência, do ódio -- que desceu aos infernos e subiu ao cume da montanha. Cujo exemplo de vida inspirou gerações e que continuará a inspirar gerações de mulheres e homens em África e em todo o mundo", referiu.

A ministra da Justiça acrescentou que se celebra o centenário do nascimento de Mandela, primeiro Presidente negro da África do Sul, "num ambiente de incerteza, em que densas nuvens pairam sobre democracias, se fragilizam os valores do Estado de Direto e se reavivam fenómenos de intolerância e discriminação, fazendo pairar sobre o mundo sombras de passados que criamos há muito, enterrados".

Em 2009, a assembleia-geral das Nações Unidas estabeleceu 18 de julho - data de nascimento do histórico líder sul-africano como Dia Internacional de Nelson Mandela, instando o mundo a assinalar a efeméride, desafiando os Estados a cumprir o seus ideais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.